DESMAIOS NAS CORRIDAS. PORQUE ELES ACONTECEM?

 

Foi ao cruzar a linha de chegada na Etapa Primavera do Circuito 4 Estações que o corredor Danyel da Silva Batista, que trazia no peito o número 89, sentiu-me mal e desmaiou, ficando desacordado por longos 07 minutos. Chegada do atleta Ele foi assistido pelos corredores que vinham logo em seguida e prontamente atendido pelos bombeiros que davam suporte ao evento esportivo. O atleta recebeu os primeiros socorros ainda sem sentidos. Para alivio dos presentes que se assustaram com a cena, o atleta recuperou-se e foi levado para a ambulância do Corpo de Bombeiros para outros cuidados.
Daniel me relatou em contato telefônico no dia de hoje, que a alimentação incorreta e insuficiente antes da prova, foi a causa de seu esgotamento físico que culminou com o desmaio. O atleta disse que saiu de madrugada de sua residência, em Bom Jesus do Norte ES, para chegar a tempo de participar da corrida em Cachoeiro de Itapemirim. Na pressa tomou apenas um café preto pois acreditou que chegando no local da prova teria condições de alimentar-se substancialmente. Isso não aconteceu. Não havia padaria ou mercado por perto. Daniel não comeu mais nada desde que saiu de casa. Inobstante tal circunstância, o esportista não deixou de correr. As consequências, como se sabe, não foram das mais agradáveis.
Sagrou-se como o décimo colocado na lista geral do Circuito 4 Estações, em Cachoeiro de Itapemirim ES, segundo consta da relação publicada pela empresa contratada (http://www.porticoeventos.com.br/resultados%202017/estacoes_primavera/geral%20completo.pdf). a

Daniel é daqueles apaixonados por corrida e não mede esforços para estar entre os primeiros. Leia mais… »

TREINÃO AMIGOS DO SEU VALDEMIR

No dia 11 de março de 2016 o atleta Valdemir de Mattos viu-se impossibilitado de fazer o que mais gostava: correr. Ele foi lesionado pelo próprio filho, que estando sob efeito de drogas, o atingiu violentamente na cabeça, com uma pedra “do tamanho de um tijolo” . O jovem foi preso e o agredido levado a atendimento médico em hospital da cidade de Cachoeiro de Itapemirim ES.
Em decorrência da lesão que sofreu Seu Valdemir teve problemas neurológicos graves que o impedem de ter uma vida normal.
Ainda sob tratamento, seu estado de saúde é bom mas ainda necessita de cuidados especiais.
O cachoeirense Valdemir de Mattos, de 71 anos, sempre se destacou em corridas de rua no Espírito Santo e em outros Estados brasileiros.
Em 20 anos de prática do esporte, ele arrebanhou mais de 300 medalhas, além de muitos troféus.

Seu Valdemir

Seu Valdemir e suas medalhas

Já disputou provas no Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais, Brasília, Paraíba, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul, correndo de igual para igual com outros atletas. Dentro de sua faixa etária, sempre brilhou, quer seja por estar dentre os primeiros, quer seja pela alegria de viver.
Em 2014, disputando a São Silvestre em São Paulo, Seu Valdemir ficou com o primeiro lugar dentre 58 competidores na faixa dos 70 anos.
O maratonista teve sua inscrição classificada entre centenas de pretendentes a ter a honra de conduzir a Tocha Olímpica dos Jogos do Rio de Janeiro em sua passagem pela cidade de Cachoeiro de Itapemirim no ano de 2016. Impossibilitado de correr, ele foi levado em cadeira de rodas e fez os 200 metros com a Chama Olímpica, emocionando os presentes.
Pessoa queridíssima, de olhar doce e sorriso encantador, Seu Valdemir é amado por todos que o conhecem.
Em eventos esportivos que participou era sempre visto em rodinhas de atletas que com ele queriam posar para fotos.
Eu mesma, no Desafio dos Sítios, não me fiz de rogada e posei ao lado dele, sentindo-me muito honrada por poder tê-lo perto de mim e desfrutar de tão doce presença. Leia mais… »

Chip de Cronometragem – Como ele funciona? Como se usa?

Não é bom nem imaginar ter participado da corrida mais especial da sua vida (aquela que você treinou horas a fio sem se importar com chuva ou sol) e ao final não ter o seu tempo computado porque colocou o chip errado.
Quem já colocou o bendito chip de maneira incorreta e não teve seu tempo computado sabe muito bem a dor que é. Dar seu melhor na prova e no final você não conseguir ter seu tempo registrado é realmente muito triste. Pior ainda é quando seu aplicativo de corrida esfrega na sua cara que você fez um tempo realmente bacana e seu nome nem aparece na lista geral do resultado da competição.
No último fim de semana estive em Belo Horizonte acompanhando meus filhos e genro que iriam participar da 21k Asics Golden Run BH. Fiz as fotos da corrida, registrei os melhores momentos e tive a alegria de ver meu filho se destacando entre em 100 melhores corredores daquele evento. Os atletas que fizeram  tempo inferior a 1h30min, receberiam medalha especial, além daquela por participação. Por conta disso, fomos todos para a fila do stand Premiação Tops. Ali vi um atleta com o chip no pulso (já senti um aperto no coração) e comecei a ficar angustiada com a certeza da futura dor alheia. Como naquela hora eu estava fotografando o meu filho e neto, inevitavelmente registrei o episódio.

Atleta 596 na fila do Top 100 da 21K Asics Golden Run BH

Leia mais… »

VAI, BRUTA! VAI, BRUTA!

10 MILHAS DO MÁRMORE E DO GRANITO – 2ª EDIÇÃO. Nós, do Foca na Photo (poderosa equipe composta de dois – Vagner e eu, Cida), fomos convidados para fotografar o evento. No dia 05 de agosto, à noite, colocamos todo o equipamento no carro e tentamos conciliar o sono. Apesar de termos deitado cedinho, ele não vinha. Acho que era pura ansiedade. Fizemos nossas orações e pedimos a Deus que nos iluminasse para termos sensibilidade para fazermos boas fotos.

Na madrugada da data marcada para a corrida, saímos de casa. Felizes, como sempre, porque fotografar, para Vagner e eu, é sempre motivo de alegria.

Chegamos na Polita cedinho. O sol ainda não tinha nascido. Estacionamos o carro e já encontramos com o pessoal das equipes que estavam montando seus stands. Conversamos um pouco com os presentes e também fomos cuidar de ajeitar nossas coisinhas.

O que se viu em seguida foi um amontoado de homens e mulheres bonitas. Os atletas chegavam aos montes. Uns com roupas da sua equipe orientadora, outros com a camisa da corrida, mas todos com a mesma energia e empolgação.

Percorrendo o local, encontramos ninguém menos que Giovani dos Santos, o maior corredor de rua do Brasil, que por si só dispensa maiores comentários, dada a notoriedade de seu talento e conquistas. Pessoa carismática, de sorriso constante e generosidade sem fim. Distribuiu autógrafos e abraços e posou com atletas, familiares, visitantes, e fotógrafos, claro. Afinal, sou apenas uma corredora que deu um tempo nas pistas para fotografar. Experimentar o outro lado.
10 MILHAS DO MÁRMORE E DO GRANITO - 2ª EDIÇÃO-404
Uma movimentação diferente, uma correria de gente para lá e para cá e, de repente, ouviu-se um “tchau, mãe!” e lá se foi Mariá. Dei-lhe a benção. Fiz o sinal da cruz na minha pequena e a nossa atleta preferida partiu com o marido para outra parte da rodovia, uma vez que iria percorrer os 7 km da prova com largada mais à frente.

Hora de despedidas também do colega-marido, já que ele ia fazer a cobertura fotográfica dos atletas cerca de 5 km do local onde estávamos, aproveitando a dica do Kaio Perim, que garantiu que o lugar era maravilhoso, com uma paisagem linda, onde se via o Itabira ao fundo (Acertou, viu, Kaio?! Rendeu os mais belos registros!).

Eu fiquei na largada dos 16 km, que também era a linha de chegada de ambas as provas: 7 e 16 km.

Aproveitei para ajustar a câmera vez que amanheceu e o dia estava nublado, com pouca luminosidade. Novas aberturas, novas velocidades, ISO apropriado para o local.

Nesse momento vou me lembrando de tudo que já vivi. Do tempo que era obesa, das minhas dificuldades para andar, do meu emagrecimento graças a uma cirurgia bariátrica, das corridas que participei depois de ter emagrecido, dos pódios, das alegrias e dos motivos de estar ali, fotografando. Leia mais… »

ARRAIÁ DA OAB E DO FÓRUM

Nem só de processos e audiências vivem os advogados e servidores do Poder Judiciário castelense.

Uma noite descontraída e de reencontros. Foi o que se viu no último dia 22, sexta feira, durante os festejos que aconteceram no Arraiá da OAB e do Fórum, realizado no sítio da Carol.

O doutores deixaram de lado os ternos e gravatas e os servidores esqueceram nos cartórios os mandados, cartas precatórias e sistemas. No Arraiá  a única conexão que havia era com a alegria e a descontração.

O que se viu foi um feliz encontro dos advogados, funcionários e servidores, seus familiares, amigos e convidados. Crianças e adultos partilhando momentos felizes, longe do corre-corre tão típico dos fóruns.

Muita comida gostosa, bebida com fartura, ambiente harmonioso onde abraços eram trocados e o papo colocado em dia. Leia mais… »

POR DENTRO DA 3ª CORRIDA AMOFIT

No último dia 16 acordamos de madrugada, ansiosos, porque teríamos que nos deslocar até Marataízes para cobrir mais um evento esportivo.

Depois de um café da manhã rápido, feito a quatro mãos, partimos com os dois atletas da família, Mariá e Rodrigo,  e os nossos equipamentos .

Na estrada o coração já estava batendo descompassado.     Sempre ficamos assim.  Amamos o que fazemos e temos um estilo próprio de fotografar. Quem já esteve conosco sabe que não dirigimos as poses. Gostamos da naturalidade. A nós cabe captarmos um gesto de ternura, um suor que cai, uma mão no ar, um abraço na linha de chegada, uma areia que escapa do tênis em movimento. A nós cabe a responsabilidade de congelarmos a emoção num disparo da câmera fotográfica.

Corredor

Corredor Jonilson Prates. Vencedor da prova

Só que o atleta quer mais que isso. Ele quer que registremos a sua performance: largada, corrida, chegada.  Tecnicamente falando, ele quer ser visto correndo,  e bonito.   Leia mais… »

Chorei de novo.

Chorei  de novo… E assim é toda vez que estou em uma corrida. Seja como partícipe ou como fotógrafa. Não tem jeito. Na linha de chegada a emoção transborda e lágrimas insistem em cair dos meus olhos. Eu tento, juro que eu tento segurar, mas não dá…

Leia mais… »

Corridas transformando pessoas

Fui obesa. Fiz bariátrica e em decorrência do emagrecimento minha autoestima deslanchou e eu mais e mais buscava as pistas como forma de acelerar o emagrecimento.

Descobri as caminhadas, as trilhas, o trekking.

Quando eu menos esperava, encontrei em um amigo o gás que eu necessitava para iniciar no mundo das corridas. Meu sonho era correr 5 km.

Dias e dias de treinos intensos. Eram necessários porque meu condicionamento ainda estava muito aquém do necessário para essa atividade. Leia mais… »

Projeto Andares

Quem nunca teve vontade de arrumar as malas e mirar um lado qualquer no mapa e partir, sem pressa para chegar?

Quantas vezes ficamos em dúvida sobre para onde ir num final de semana, ou por ter várias opções e por não ter nenhuma? Garanto que em alguma vez em nossa existência já passamos por essa experiência.

O PROJETO ANDARES nasceu de uma dessas crises de indecisão. Somos, Cida e eu, dois amantes da natureza, de trilhas, de caminhadas, de fotografia. Algumas vezes ficamos sem saber para onde ir, apesar das inúmeras possibilidades. Para resolver esses impasses, resolvemos fazer uma lista de prioridades para o ano de 2017. Lugares dos nossos sonhos que serão visitados. Cada um desses locais será denominado ANDAR. E sempre haverá registro fotográfico e descritivo da história do lugar, da sua cultura, costumes, belezas e tradições. Leia mais… »

Hoje é o melhor dia de todos.

Hoje é um dia muito especial para min.

Há exatamente dois anos comprei minha primeira câmera DSLR, um sonho que tinha a muito tempo, mas graças a coisas que deram errado tive a oportunidade nesta data de realizara tão sonhada compra. Nada de especial, uma Canon 70D na época lançamento, e o que tinha de mais moderno. Contudo este equipamento me possibilitou outra alegria sem tamanho. Leia mais… »